Hospital Municipal Oceânico alcança a marca de 2 mil altas de pacientes recuperados da Covid-19

Hospital Municipal Oceânico alcançou uma marca histórica: duas mil altas de pacientes recuperados da Covid-19 desde a abertura em abril de 2020. A unidade, que era particular e estava desativada, foi arrendada e reequipada pela Prefeitura de Niterói e se tornou referência no tratamento da doença. Nesta quinta-feira (17), Maria José Camilo de Paula, de 53 anos, deixou o hospital pela porta da frente, após quase um mês lutando contra a Covid-19, e se tornou a paciente número dois mil a ter alta.

“Estou muito feliz com essa marca alcançada hoje pelo Hospital Municipal Oceânico. Ela demonstra que nossas ações no enfrentamento da pandemia da Covid-19 foram acertadas. Quero parabenizar toda a equipe do hospital e da Secretaria Municipal de Saúde pelo belo trabalho que vêm fazendo com empenho, dedicação e carinho pelas pessoas que lutam para sobreviver a essa infecção terrível e desejar à dona Maria José saúde e felicidade. A senhora é uma vencedora!”, disse o prefeito Axel Grael.

O secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, também ressaltou o trabalho que vem sendo desenvolvido pela equipe do Hospital Municipal Oceânico.

“Abrimos o Hospital Oceânico em 23 dias e hoje é comparado aos melhores do Brasil. Atingimos 2 mil altas na unidade e quero deixar meus parabéns para toda essa equipe de profissionais competentes e dedicados pelo excelente trabalho que vem sendo feito ao longo desse período tão difícil”, disse.

Emoção – Maria José se emocionou ao deixar a unidade sendo saudada pela equipe da unidade e recebida na porta do hospital por familiares.

“Eu fui tão bem cuidada que me senti em casa, nem parecia que eu estava em um hospital. Desde o funcionário da limpeza até o médico, todos me trataram com muito carinho, cada detalhe fez a diferença para eu estar saindo pela porta da frente”, contou Maria José, que lembrou ainda como a chamada virtual foi importante para atravessar esse período de internação.

“O contato com minha família foi muito importante, renovou minha esperança, me deu a força e a vitalidade que eu precisava para enfrentar a Covid-19. Apesar desse momento de alegria, gostaria de aproveitar e alertar a todos sobre a importância de não se medicar em casa e dar o devido cuidado a essa doença. Meu conselho é: procure uma unidade médica, lá eles vão saber o que é melhor para você”, alertou a moradora de Itaipu.

Tratamento intensivo – Segundo a equipe médica, o quadro dela foi difícil: Maria José chegou a ter 50% dos pulmões comprometidos, mas graças à Cânula Nasal de Alto Fluxo (CNAF), ela não precisou ser entubada. Este equipamento é uma alternativa – presente no Hospital Oceânico – de suporte respiratório, sem máscara e mais confortável. Ela deu entrada na unidade no dia 20 de maio, e quase um mês depois, nesta quinta-feira (17), ela teve alta.

Nem a chuva e o tempo frio neste final de outono foram capazes de estragar a animação dos familiares da Maria José, emocionados eles agradeceram a equipe.

“É uma doença muito triste [Covid-19]. Fiquei muito desesperada quando soube que minha mãe estava doente, mas graças aos profissionais do hospital, ela saiu hoje [quinta-feira] pela porta da frente”, falou Thalita Pertuzatti, de 32 anos, filha de Maria.

Gisela Motta, diretora do hospital, reforça a importância dos cuidados para evitar a propagação da Covid-19.

“São diversas vidas salvas e mais do que isso, são famílias que não foram desfeitas. Apesar desse momento de alegria, não podemos fraquejar e afrouxar os cuidados, quem puder se vacinar se vacine, porque é apenas com a vacina que iremos vencer esta guerra. Além, claro, de sempre usar máscara, álcool em gel e manter o distanciamento social. Falta pouco para podermos nos abraçar novamente”, lembrou a médica.

Referência – O Hospital Municipal Oceânico é a primeira unidade do Brasil exclusiva para o tratamento de pacientes com Covid-19. A Prefeitura de Niterói arrendou as instalações de um hospital privado, que estava fechado, por R$ 1,7 milhão pelo período de 12 meses. Foram realizadas obras de adequação na unidade para receber os primeiros pacientes que começaram a chegar logo depois de sua inauguração, em abril de 2020.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support