logo

logo logo logo Colab

SEPLAG – UGP/CAF

Licitações Sexec

Licitações SEMUG


Início
Filme que conta a história da Fluminense, primeira rádio de Rock do país, tem sessão especial em Niterói PDF Imprimir E-mail

08/07/2019 - Niterói reviveu, na manhã desta segunda-feira (8), parte do sucesso da rádio Fluminense FM, que ficou conhecida como Maldita. Um trecho promocional do filme "Aumenta que é rock 'n Roll" foi apresentado em uma das salas da rede de cinemas Planet, no shopping Multicenter, na Região Oceânica. A trajetória da rádio niteroiense, que por mais de três décadas foi a predileta dos amantes do rock, está sendo contada no filme dirigido por Tomás Portella e produzido por Cacá Diegues e Renata Almeida Magalhães.


O cineasta Cacá Diegues foi recebido pelo prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, e secretários, para a sessão especial, que contou ainda com a participação de locutores da rádio, atores do filme, e do autor do livro "A onda maldita", Luiz Antônio Mello, que inspirou a produção do longa.

Rodrigo Neves destacou os investimentos realizados pela gestão municipal para o desenvolvimento do setor audiovisual em Niterói, como a redução de alíquotas e o lançamento de um edital de fomento. O prefeito lembrou também que a cidade tem maior quantidade de salas de cinema por habitante do Brasil.

“O programa do audiovisual tem como objetivo consolidar Niterói como referência neste segmento. Sancionamos a lei que reduz a alíquota do ISS do setor audiovisual de 5% para 2%. A medida faz parte do pacote de ações para tornar a cidade um polo de referência para o setor. Niterói teve a primeira faculdade de Cinema, criada por Nelson Pereira dos Santos, na Universidade Federal Fluminense (UFF). O município também reúne belezas naturais incríveis e nosso patrimônio histórico, tudo isso precisa ser conhecido pelo Brasil e pelo mundo”, afirmou Neves.

O prefeito ressaltou, ainda, que as iniciativas já vêm apresentando resultados e que, nos últimos dois anos, foi registrado um aumento de 65% do número de produtoras de audiovisual com alvará em Niterói.

“No edital de fomento com a Ancine, uma das exigências é que parte das produções seja filmada em Niterói. Hoje, temos 19 produções entre curta, média e longa-metragem sendo feitas na cidade e serão lançadas ao longo dos próximos anos. É muito importante que a gente defenda o cinema nacional, que mostra a história do Brasil para o mundo. E o Cacá Diegues tem essa virtude extraordinária, apresentando um cinema de extrema qualidade. Esse filme sobre a rádio niteroiense vai ser um sucesso. A história da Maldita é a história de Niterói, é a história do rock brasileiro”, reforçou Rodrigo Neves.

Cacá Diegues fez questão de agradecer a todo o apoio que vem recebendo do Município não só para a realização desta produção, como para o desenvolvimento do setor audiovisual na cidade.

“Tudo que está acontecendo com o cinema em Niterói me deixa muito feliz e orgulhoso. A cidade está se transformando numa cidade cinematográfica muito importante. Esse filme é sobre a rádio que mudou a cultura brasileira, e o prefeito Rodrigo Neves transformou Niterói na capital do cinema”, comentou Diegues.

O diretor do longa, Tomás Portella, destacou que, assim como a Maldita fez história e mudou o comportamento de uma geração, ele acredita que o mesmo poderá acontecer quando o filme chegar às telas no próximo verão.

“Chegamos à história do filme após ler o livro do Luiz Antônio Mello, “A onda maldita”, e vimos o quanto a rádio foi importante, e como essa história merecia ir para as telas. A rádio marcou um comportamento e fez história. Esperamos que isso aconteça com o filme. Quem viveu aquela época poderá se identificar, e as novas gerações entenderão a trajetória do rock e a importância das bandas e artistas que continuam até hoje”, observou.

Eram 6 horas do dia 1º de março de 1982 quando a rádio Fluminense FM entrou no ar, abalando as estruturas dial. O longa, que traz o ator Jhonny Massaro no papel do jornalista Luiz Antônio Mello, criador da Maldita, teve o roteiro adaptado por L.G. Bayão. E os 15 minutos da “demo” foram suficientes para emocionar Mello.

“Foi uma emoção muito grande assistir a parte da história que vivemos na rádio. As imagens estão incríveis e me transportaram para aqueles momentos em que trabalhávamos para mostrar o que o que era o rock e seus cantores. Quando vimos, já estávamos saindo de Niterói e abrindo espaço para o Brasil. E estar aqui hoje com pessoas tão queridas e que marcaram essa época é demais”, disse Mello, emocionado. “Esse filme irá resgatar não só a história da Maldita, mas da própria cidade, que ganhou destaque no cenário nacional na década de 80 por sediar a rádio responsável por lançar inúmeras bandas de rock”, acrescentou.

Entre os locutores da Maldita que assistiram a sessão especial estava a jornalista e niteroiense Mylena Ciribelli, que durante anos foi a voz oficial da rádio.

“Muito incrível tudo isso que estamos vivendo aqui. Tive a impressão de que eu estava lá novamente no estúdio, com os móveis, as pessoas... Tínhamos muitas dificuldades, mas o trabalho final era sempre muito bom. Lançamos e marcamos época”, comemorou Mylena.

 

Prefeitura Municipal de Niterói
Rua Visconde de Sepetiba, 987 - Centro - Niterói - RJ