Pistas da Estrada Francisco da Cruz Nunes, sentido Itaipu do trecho 8 da TransOceânica, serão liberadas ao tráfego de veículos Imprimir

18/07/2017 – A partir desta sexta-feira (21/7), as pistas sentido Itaipu da Estrada Francisco da Cruz Nunes, no trecho 8 da TransOceânica (que vai da rótula da Avenida Central até a entrada do Engenho do Mato), serão liberadas ao tráfego de veículos. Com a construção da ponte sobre o Rio da Vala foi possível o alargamento das pistas nesta área, além de beneficiar os moradores do bairro Boa Vista. A próxima etapa para a conclusão deste trecho da TransOceânica será a obra nas pistas sentido Centro.

Em uma nova vistoria na manhã desta terça-feira (21/7) nas obras que estão em andamento na Região Oceânica, o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, enfatizou que a liberação das pistas neste trecho acontecerá antes do prazo previsto, e que no segundo semestre, a obra da TransOceânica entra na reta final.

“Fizemos um plano estratégico para a nossa cidade e apesar da grave crise financeira do Estado, estamos conseguindo tirar do papel obras importantes como a TransOceânica, que hoje já é uma realidade. A abertura do túnel contribuiu muito para melhorar a qualidade de vida dos moradores da Região Oceânica e a construção do corredor viário vai mudar definitivamente a questão da mobilidade urbana de Niterói, com transporte público de qualidade e redução do tempo de deslocamento”, afirmou Neves.

De acordo com o prefeito, a Região Oceânica é uma das áreas de Niterói que mais vem recebendo investimentos da gestão municipal nos últimos anos. Além das obras de drenagem e pavimentação em locais como o Bairro Peixoto, Cafubá, Fazendinha e o Maravista, está em andamento a obra da Avenida Professora Romanda Gonçalves, paralela a Avenida Central, que é esperada há décadas.

“Durante décadas a Região Oceânica ficou esquecida. Estamos implantando galerias bem estruturadas para resolver o problema de alagamento da Estrada Francisco da Cruz em trechos como o Trevo de Piratininga. Foram mais de 50 desafios que estamos vencendo para a execução da TransOceânica, que conta com projeto de urbanização, iluminação e também a questão da sustentabilidade. Em três anos, foram plantadas mais de três mil árvores na cidade. Vamos continuar apostando em novos projetos e, também, preservando as belezas naturais da nossa cidade”, finalizou.