Projeto Águas Escondidas recupera Áreas de Preservação Permanente de Nascentes em Niterói Imprimir

11/09/2017 – O poeta Luiz Pucu, morador há 30 anos da Região Oceânica, um amante das causas da natureza, não pensou duas vezes em abraçar um projeto ambiental do município pela preservação, e hoje é uma espécie de guardião do que pode ser considerado um dos grandes tesouros da cidade: uma nascente. Ela fica na rua Frei Fabiano, na bacia do Santo Antônio em Itaipu. O olho-d’água que para muitos era considerado como um valão, há dois meses foi oficialmente elevado ao status de Área de Preservação Permanente pela Secretaria de Meio Ambiente Recursos Hídricos e Sustentáveis de Niterói.

 
Foi mais um passo dado pelo Projeto Águas Escondidas desenvolvido pela secretaria, que tem como objetivo a recuperação das Áreas de Preservação Permanente de Nascentes no município de Niterói colaborando com a manutenção dos recursos hídricos do município. O objetivo é identificar nascentes deste tipo nas 36 bacias hidrográficas da cidade. Desde setembro de 2016, já foram identificadas 20 áreas que passam por processo de georreferenciamento e análise de potabilidade.

A nascente descoberta pelo poeta Luiz Pucu chegou a ser confundida com um vazamento de esgotos. Hoje ao seu redor uma área de 50 metros já ganhou 120 mudas de plantas nativas da Mata Atlântica, incluindo pau-brasil, ipês e paineiras.

“Eu desconfiei que ali tinha algo a mais e comuniquei à prefeitura. Eles foram ao local, mapearam, realizaram os exames e descobriram que a água é totalmente potável e hoje a área está protegida. Parece pouco, mas não é. As nascentes fazem parte de um tesouro. Depois que a prefeitura cercou, e a fonte ficou protegida, o local já ganhou outra vida, porque os próprios moradores ajudam a cuidar e a plantar. Cada um tem que fazer a sua parte. Já colocamos até uma bica para usarmos a área que está se transformando também em um local de convivência”, explica Pacu.

O subsecretário de meio ambiente Gabriel Cunha explica que as nascentes, devido à sua grande importância, são protegidas em lei pelo código florestal (Lei Federal 12651-2012). “O projeto da secretaria fala de algo maior, que é a preservação de recursos hídricos do município”.