Campeonato de caratê reúne 1.500 atletas de 20 estados em Niterói Imprimir

15/09/2017 – Atletas de 20 estados brasileiros estarão reunidos em Niterói até o dia 17 de setembro para a disputa do Campeonato Brasileirão de Karatê Esportivo. O evento, que acontecerá no ginásio do Complexo Esportivo Caio Martins, em Santa Rosa, vai reunir 1.500 participantes em diversas categorias, com competidores a partir dos 6 anos (categoria pré-mirim) até atletas master. O evento, organizado pela Liga Independente de Karatê Esportivo (LIKERJ) e realizado pela Confederação Esportiva e Educacional Brasileira de Karatê (CEEBK), tem apoio da Prefeitura de Niterói.



De acordo com o presidente da Liga Independente de Karatê Esportivo e organizador do evento, Alexandre Bagestão, o objetivo do campeonato é divulgar os valores educacionais, esportivos e familiares da modalidade. Os atletas vão competir em duas disputas: Kumite (lutas) e Kata (demonstrações de movimentos onde são simuladas lutas).

“Teremos atletas de todas as idades em grande evento de confraternização, unidos pelo crescimento do nosso esporte”, afirmou.

O secretário municipal de Esporte e Lazer, Luiz Carlos Gallo, garantiu que o suporte aos campeonatos em Niterói é uma das prioridades da pasta.

“Não vamos medir esforços para dar total apoio às competições na cidade. Estabelecemos parceria para esse evento, ajudamos com a viabilização do espaço e alojamos cerca de 150 atletas”, detalhou.

O presidente da Confederação Brasileira de Karatê, Gilles Willemin, explicou que atletas de vários estados vem em busca do maior número possível de medalhas. No ano passado, o Rio de Janeiro apresentou Niterói como cidade concorrente a receber o campeonato.

“A escolha é feita a partir da estrutura que a cidade apresenta, levando em consideração fatores como a rede hoteleira e pontos turísticos. Ano que vem será a vez de Fortaleza. É um evento que reúne atletas em nível nacional”, comentou.

A carioca Thaís Nunes, de 21 anos, é campeã brasileira no kata e kumite. Ela pontuou que, nos Jogos Olímpicos de 2020, o caratê será, pela primeira vez, esporte olímpico. Ela é uma das esperanças brasileiras para o futuro da modalidade.

“É um evento bem bonito para a cidade. Fui classificada para o Campeonato Mundial, que acontece em outubro, na Irlanda, mas não consegui recursos para viajar e não vou ter como participar. O campeonato é importante porque traz visibilidade e incentivo, que são fundamentais para o esporte”, disse.

O niteroiense Sandoval Costa, de 50 anos, já é atleta master, mas faz questão de continuar marcando presença em campeonatos. Ele lembrou que, nos anos 90, a cidade recebeu o Pan-Americano de Caratê e, agora, volta a ser palco de outra importante competição da modalidade.

“Para mim, é muito gratificante ter a oportunidade de competir na minha cidade, e fico feliz que a cidade tenha a capacidade de trazer um campeonato de grande envergadura como esse. Continuo participando porque quero que atletas mais jovens, como a Thaís, me vejam e queiram chegar à minha idade ainda competindo”, contou.

Os atletas voltam a se reunir neste sábado (16) e domingo (17), com disputas finais. O evento começa às 8h.--