Ilha do Pontal recebe plaqueamento de sinalização e educação Imprimir

ilha

07/11/2017 – Preparando-se para receber visitas de estudantes de Niterói, a Ilha do Pontal, que fica localizada na Lagoa de Piratininga, perto do Cafubá, recebeu, nesta terça-feira (7), placas de sinalização e mensagens educativas. Para garantir que o ambiente seja preservado pelos seus visitantes, a Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade (SMARHS) sinalizou toda a ilha com placas informativas e refez a ponte de acesso ao local. A previsão é de que ainda este mês o local comece a receber excursões dos pequenos.

 


O projeto da SMARHS tem como objetivo conscientizar e apresentar para as crianças de Niterói, de forma lúdica, a área que compõe um dos mosaicos dos 16,3 milhões de metros quadrados do Parnit (Parque Natural Municipal de Niterói - Unidade de Conservação de Proteção Integral), criado para proteger a extensa área verde do município.

Quando as visitas tiverem início, os visitantes da ilha serão recepcionados com algumas das 22 placas instaladas nesta terça-feira, ilustradas com a ave símbolo do local, a jaçanã. A ideia é que a ave “converse” com as crianças ao longo da trilha para que possam conhecer o lugar e seus ambientes variados com rochas, mangues, brejo, lagunas, florestas e pássaros que podem ser observados da localidade, como a própria jaçanã.

“O espaço foi elaborado com o intuito de fomentar a educação ambiental, por meio de trilhas interpretativas. Pedimos para que a população usufrua e colabore na manutenção deste espaço tão singular da nossa cidade”, explica o secretário municipal de Meio Ambiente, Eurico Toledo, acrescentando que, também como parte do projeto, a ponte que dá acesso à ilha foi reformada.

Em 2014, um decreto assinado pelo prefeito Rodrigo Neves criou o programa Niterói Mais Verde, com 22,5 milhões de metros quadrados de áreas protegidas no município. Um dos trechos protegidos é o Parnit, que inclui a Ilha do Pontal, que está sendo preservada, com resgatar dos vestígios de sambaquis encontrados em sua área, representativos das localizações distintas de comunidades indígenas na Região Oceânica. Na Ilha do Pontal – composta por quatro mirantes – se encontra uma grande quantidade de conchas de moluscos, indicando que povos antigos habitaram a região e usaram a ilha.