Bicicletário Arariboia será apresentado como case de sucesso em evento internacional sobre mobilidade urbana e bicicleta Imprimir

11/06/2018 – Na próxima quinta-feira (14/05), a Prefeitura de Niterói falará sobre o sucesso do Bicicletário Arariboia na Velocity 2018, principal série de conferências internacionais de planejamento sobre mobilidade urbana e bicicleta, que pela primeira vez é realizada num país da América Latina. Na manhã desta segunda-feira (11), representantes da Federação Europeia de Ciclistas, organizadores do evento, que começa nesta terça-feira (12) e vai até a sexta (15), no Rio de Janeiro, e de programas que incentivam o uso do transporte sustentável de diversas cidades europeias e asiáticas, fizeram uma visita técnica ao estacionamento de bikes e conheceram em detalhes o programa cicloviário do município.


Os visitantes foram recebidos por Claudia Tavares, coordenadora do Niterói de Bicicleta, programa da prefeitura gerenciado pela Secretaria Executiva do município. Ela explicou o funcionamento do estacionamento, que oferece 416 vagas. Os ciclistas estrangeiros também foram apresentados ao programa de incentivo ao uso da bicicleta em Niterói, que hoje conta com uma malha cicloviária de 40 quilômetros, e foram informados sobre a ampliação das ciclovias - a prefeitura planeja implantar 100 quilômetros nos próximos três anos, sendo 57 na Região Oceânica.

O Bicicletário Arariboia, que conta com 4.890 usuários cadastrados, está localizado ao lado da estação das barcas, no centro de Niterói, no lugar que antes era ocupado por 26 vagas de  carros. O estacionamento de bikes é um dos principais responsáveis pelo crescente número de ciclistas na cidade: 49.3% dos usuários não usavam bicicleta antes da abertura do bicicletário e 19,2 % utilizam bikes há menos de seis meses.

O aumento do número de ciclistas nas ruas de Niterói também pode ser verificado nas contagens realizadas frequentemente. A última, no final de maio, revelou que 453 ciclistas passaram pela Avenida Amaral Peixoto entre 18h e 19h, um aumento de mais de 40% em relação a dezembro de 2017, quando o número registrado foi de 277.

A quantidade de bicicletas que atravessam a Baía de Guanabara de barcas também é um indicativo do aumento de adeptos das bikes. A concessionária que administra o serviço de transporte hidroviário entre a Praça Arariboia e a Praça 15 registra, atualmente, uma média de 1,5 mil ciclistas nas embarcações, diariamente.

Com o aumento do número de ciclistas nas ruas, será necessária a ampliação do bicicletário, já que o espaço tem ficado lotado nos horários de pico, pela manhã e à tarde.

O secretário Executivo, Axel Grael, destacou que o Bicicletário Arariboia é o primeiro bicicletário fechado e seguro da Região Metropolitana, projetado, implantado, gerenciado e mantido por uma Prefeitura local.

“Receber a Comitiva da Rede Cidades e Regiões pela Bicicleta da Federação Europeia de Ciclistas no momento em que os membros desta rede estão no Rio de Janeiro para a Conferência Velocity 2018 é um sinal que estamos no caminho certo. Para nós é uma grande felicidade saber que estamos atraindo os olhos e atenção de autoridades e técnicos de regiões e cidades que desenvolvem políticas públicas e infraestrutura pro-bicicleta de reconhecimento internacional. Esta visita muito nos honra e serve de estímulo para continuar trabalhando para o desenvolvimento de infraestrutura para o uso da bicicleta na nossa cidade", afirmou Grael.

A gerente do Programa de Bicicleta da cidade de Copenhague, Marie Kastrup, afirmou que a Dinamarca, conhecida como um dos melhores lugares do mundo para ciclistas, tem pouquíssimos exemplos de bicicletários tão bons como o de Niterói.

“Acho impressionante quantas pessoas podem se beneficiar do bicicletário quando comparamos com o número de usuários antes, quando haviam vagas de estacionamento neste local. Esse projeto realmente mostra como podemos otimizar os espaços quando mudamos de um meio de transporte individual, como carros, para bicicletas. É um modal de transporte muito mais eficiente na questão de espaço. É interessante ver que esse equipamento tornou muito mais atrativo usar a bicicleta, especialmente quando vemos o número de ciclistas na cidade aumentando”, destacou.