Niterói lança Film Commission e linha de investimento em Los Angeles Imprimir

17/07/2018 – O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, e o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, lançaram, nesta terça-feira (17), em Los Angeles, nos Estados Unidos, a Niterói Film Commission e também uma linha de investimento, no valor de R$ 1 milhão, para produções estrangeiras que queiram filmar em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. A cerimônia foi realizada no Consulado Geral do Brasil e contou com a participação de produtores, artistas, roteiristas, profissionais da indústria cinematográfica e ligados a área do comércio exterior.

“Niterói tem um potencial extraordinário na economia criativa, no cinema e no audiovisual. O programa Niterói Cidade do Audiovisual contribui não apenas para o desenvolvimento nesse setor, mas em outras atividades econômicas importantes para a cidade, como o turismo, além de incentivar a geração de empregos e riqueza. Nos últimos quatro anos, nós superamos desafios com planejamento, disciplina e muito trabalho. E, apesar da crise geral, são iniciativas como essa que vão garantir a Niterói um futuro mais sustentável”, disse o prefeito Rodrigo Neves.

Com a Film Commission, a Prefeitura pretende ampliar a competitividade de Niterói como destino de filmagem de produções nacionais e internacionais, potencializando o impacto econômico proveniente da atividade audiovisual, atraindo investimentos, gerando emprego, renda, arrecadação de impostos, crescimento e valorização da cidade, além do incremento ao turismo. A entidade vai promover também ações para reforçar a percepção de Niterói como lugar de vanguarda na recepção de novas tecnologias, tendências e necessidades do mercado, consolidando o município como um dos principais polos produtores de conteúdos audiovisuais no Brasil.

"Acho que o programa está muito bem formulado. A Prefeitura está realmente comprometida em fazer tudo acontecer, assim como nós no Governo Federal. O lançamento aqui nos Estados Unidos foi importante para divulgar internacionalmente a iniciativa. Eu penso que esse projeto tem muito para contribuir para o desenvolvimento não apenas da cidade, mas do setor audiovisual brasileiro. E eu espero que isso inspire também outras cidades brasileiras a fazerem coisas parecidas. Realmente Niterói, por diversas razões, tem uma vocação para a indústria audiovisual e muita coisa pode ser feita para colocar Niterói no mapa da indústria audiovisual global”, explica o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão.


Niterói Cidade do Audiovisual

As iniciativas compõem o programa Niterói Cidade do Audiovisual, criado por meio de uma parceria interfederativa firmada em setembro do ano passado (2017) entre a Prefeitura de Niterói, o MinC e a Agência Nacional do Cinema (Ancine), que prevê investimentos em Niterói no valor de R$ 34 milhões, entre 2018 e 2019.

De acordo com o prefeito Rodrigo Neves, a gestão tem a Cultura como um dos vetores de desenvolvimento econômico para o município e apostar no setor audiovisual, além do perfil cultural, significa uma possibilidade de diversificação da matriz econômica da cidade.

O programa prevê iniciativas como a liberação de R$ 26 milhões em editais de fomento para o segmento, R$ 4,8 milhões para a implantação do Centro Petrobras de Cinema, R$ 380 mil para seis mostras, e a redução da alíquota de ISS do setor audiovisual de 5% para 2%. Os investimentos contemplam ainda ações de capacitação e formação para o setor, além de atividades de preservação e memória.

 Além disso, serão destinados R$ 2,8 milhões para a realização de um festival de cinema em Niterói com os países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), no próximo ano. Cada ano, um país integrante do grupo assume a presidência do festival, e em 2019 este posto será do Brasil pela primeira vez.  Os investimentos da Prefeitura de Niterói são realizados com recursos provenientes de royalties e participação especial na exploração do petróleo.

“Essa iniciativa da Prefeitura de Niterói é muito importante. Moro em Los Angeles há 30 anos e sou diretora de um festival brasileiro em Hollywood há 10 anos e eu acredito que ter essa visão não é para qualquer um. Acredito realmente que Hollywood pode ser um banco de oportunidades gigante, que infelizmente o Brasil não teve ainda a visão de aproveitar, como Niterói está fazendo”, declarou Talize Sayegh, diretora do Hollywood Brazilian Film Festival.

O evento também contou com a participação da cônsul brasileira em Los Angeles, Márcia Loureiro, e do presidente da Câmara de Comércio Brasil-Califórnia, Patrick Benedek.