Prefeitura de Niterói apresenta projeto da Frente Marítima para empresários do setor naval Imprimir


13/11/2019 - A Prefeitura de Niterói vai lançar, na primeira semana de dezembro, o Plano de Ativação Econômica da Frente Marítima de Niterói. Em uma reunião com empresários, em evento realizado no auditório do Estaleiro TCE, na Ilha da Conceição, o prefeito Rodrigo Neves destacou o compromisso de tirar do papel a dragagem do canal da Ilha da Conceição, o principal ponto do projeto. Ele revelou que irá se encontrar com as bancadas do Rio de Janeiro na Câmara e do Senado para pedir apoio para a iniciativa, com a destinação de recursos através de emendas parlamentares. Garantiu ainda que o município irá colocar recursos próprios para a obra.



“Nós temos o compromisso de realizar essa obra, que é fundamental para Niterói. A dragagem do canal de São Lourenço por si só já seria uma grande conquista, mas ela está inserida em uma estratégia de desenvolvimento. Vamos ter a PPP para implementar o terminal pesqueiro, vamos ter um grande acordo de cooperação com a UFF com foco em pesquisas relacionadas à economia do mar e inovação, entre outras coisas. Eu não tenho dúvidas de que será um sucesso, como outras estratégias que a gente colocou em prática”, afirmou o prefeito. Rodrigo Neves mencionou iniciativas como a Lei de Hotéis, o Polo Niterói Cervejeiro e o plano para a expansão da rede privada de saúde na cidade.

A secretária municipal de Fazenda, Giovanna Victer, apresentou o projeto da Frente Marítima de Niterói para os empresários. O plano prevê a dragagem do Canal de São Lourenço, a criação de programas de qualificação técnica para o setor, a promoção comercial para atração de fornecedores e rodadas de negócios, editais para o desenvolvimento de tecnologias para o setor marítimo, portuário, pesqueiro e de óleo e gás, a requalificação urbana, de infraestrutura e dos acessos à Ilha da Conceição, e a implementação do terminal pesqueiro. A expectativa com o projeto é que, até 2030, sejam gerados 59 mil empregos diretos e indiretos em Niterói.

"Tenham a certeza de que nós vamos tirar esse projeto do papel. O nosso objetivo é mostrar que Niterói tem visão de futuro, gestão profissionalizada, legitimidade política e uma coesão interna que garante investimentos. E sempre levando em consideração que essa é uma gestão que se preocupa com as pessoas, com o valor do desenvolvimento social e com a redução das desigualdades”.

Desenvolvido com a participação do presidente da Niterói Negócios, Marcelo Haddad, e com o apoio do economista Mauro Osorio, o projeto da Frente Marítima de Niterói mapeou oportunidades e desafios do setor para o atual cenário econômico. Entre as suas premissas estão a geração de empregos e prosperidade para o município, a revitalização do polo logístico, industrial e de serviços da frente marítima da Baía de Guanabara e a construção de um legado econômico indutor de desenvolvimento,  com adensamento produtivo, promoção de negócios e atração de novos fornecedores.

O deputado estadual Paulo Bagueira ressaltou que trabalha junto ao governo do Estado e ao Inea para viabilizar o projeto e se colocou à disposição dos empresários para trabalhar pelo setor na Alerj.


“Quero ser o canal de comunicação de vocês com o Estado. Esse projeto demonstra a preocupação e todo o conhecimento que o prefeito Rodrigo Neves e sua equipe têm com a cidade. Não há dúvida de que será um sucesso”.

O presidente da Câmara de Vereadores de Niterói, Milton Cal, afirmou que a iniciativa é fundamental para a retomada do crescimento econômico na Ilha da Conceição.

“É muito importante que a dragagem saia do papel imediatamente. Isso vai gerar muitos empregos para a cidade, tanto na área de estaleiros quanto para o setor pesqueiro”.